sexta-feira, agosto 28, 2015

Corte no orçamento faz BC adiar, mais uma vez, a troca de notas

Veja online
Com informações Estadão Conteúdo

Intenção do governo era fazer 100% da substituição das cédulas do real antes da Copa, mas o prazo foi estendido para a Olimpíada do Rio, no ano que vem

(Marcelo Sayão/EFE/VEJA)
 Cortes sucessivos no orçamento do Banco Central (BC) 
frustraram objetivo inicial de substituição de notas

O governo adiou, mais uma vez, a troca total de cédulas antigas pelas novas notas da segunda família do real. A intenção era fazer 100% da substituição antes da Copa do Mundo, em 2014, mas o prazo foi estendido para a Olimpíada do Rio, no ano que vem. No entanto, a um ano dos Jogos, 44% das cédulas de 2 reais e 38% das notas de 5 reais ainda não foram trocadas.

A culpa pela frustração dos planos é dos cortes sucessivos no orçamento do Banco Central (BC), que obrigaram a instituição a aumentar o prazo de circulação de notas do real. Os atrasos nos lançamentos das novas cédulas e a extensão do tempo em que as notas ficam em circulação impediram a substituição a tempo dos grandes eventos esportivos.

O planejamento para a troca das cédulas foi traçado pelo governo, antes do mundial de futebol, para que todas as notas fossem lançadas a tempo de a substituição ser completa. A ideia era mostrar aos turistas estrangeiros que, duas décadas depois de criado, o real se consolidou como uma "moeda forte". Também se evitaria confusão para os turistas de adaptação a dois modelos distintos de notas de mesmo valor.

Nenhum comentário: