sexta-feira, agosto 28, 2015

Para especialistas, PIB caiu no segundo trimestre e país entrou em recessão

Marcelo Loureiro
O Globo


Nas projeções de algumas instituições, a economia brasileira teria recuado entre 1,4% e 1,9% no segundo trimestre, comparado ao período anterior. Como o PIB já encolheu 0,2% no primeiro trimestre, essa nova queda configuraria a recessão técnica. O resultado oficial será divulgado na sexta-feira pelo IBGE.

Octavio de Barros, diretor de pesquisas econômicas do Bradesco, projeta recuo de 1,4% no PIB do segundo trimestre. Com base em dados antecedentes, o especialista calcula que o recuo dos investimentos tenha sido de 7,6%. O consumo das famílias, com queda de 1,9%, teria sido o segundo maior impacto.

— Se não fosse o desempenho bastante positivo das chamadas exportações líquidas, o resultado poderia ser pior —, acredita Barros. No cálculo do Bradesco, o movimento das importações e exportações cresceu 1,6%.

Para a consultoria Go Associados, o PIB recuou 1,9%, no segundo trimestre. Nessa projeção, os investimentos (-8%) e o consumo (-2,5%) também tiveram os maiores pesos.

— O investimento é onde a desconfiança em relação ao futuro se manifesta mais fortemente. As encomendas de bens de capital estão sendo postergadas. O empresário vai voltar a investir quando enxergar o cenário favorável, e a utilização da capacidade instalada estiver perto do limite. Estamos longe disso. Se o investimento cai, a recuperação fica mais distante —, explica Fabio Silveira, da consultoria GO Associados. 

A queda nas encomendas afetou a produção industrial no segundo trimestre. Para a Tendências Consultoria, que espera retração do PIB de 1,7%, os maiores impactos pela ótica da oferta vieram da indústria e dos serviços. Na avaliação do Itaú, o PIB recuou 1,8% no período. 

Nenhum comentário: