quarta-feira, setembro 23, 2015

4 mapas que resumem a economia global (e nós na contramão)

João Pedro Caleiro 
EXAME.com 

Getty Images

 O mundo hoje

São Paulo - Crescimento, inflação, demografia e ambiente de negócios.

Com apenas estes quatro dados dá para fazer um retrato robusto, ainda que parcial, da situação econômica de qualquer país.

É isso que mostram os mapas de um relatório do HSBC concluído no começo do mês e compartilhado com EXAME.com.

A situação da economia brasileira não é nada animadora. O país é um dos únicos do mundo efetivamente em recessão e onde a inflação se aproxima dos dois dígitos anuais.

No perfil populacional, não podemos contar mais com o bônus demográfico dos últimos anos, mas também não temos nada comparável à situação do leste europeu.

O ambiente de negócios teve melhora, mas muito modesta, e segue lá em baixo na comparação mundial. Veja a seguir os 4 mapas que mostram a situação atual da economia global:

Crescimento 

Mapa do HSBC com dados da economia global em 2015

O primeiro mapa traz as últimas taxas anualizadas de crescimento do PIB. Em vermelho estão os (poucos) países com crescimento negativo, como Rússia, Venezuela, Grécia e Brasil.

Os números da economia brasileira mostraram uma queda do PIB no 2º trimestre de 1,9% em relação ao trimestre anterior e 2,6% em relação ao mesmo período de 2014, deixando evidente a recessão já captada por todos os outros indicadores.

Em cinza claro, escuro e preto ficam os países com crescimento acima de 2%. O grupo inclui Estados Unidos, boa parte da Europa e praticamente toda a Oceania, África e Ásia - incluindo a estrela Índia e também a China, mesmo com desaceleração.

Inflação 

Mapa do HSBC com dados da economia global em 2015

No mapa de inflação, importam os extremos. Uma grande parte da América Latina e da África tem inflação anualizada acima de 4% - no caso do Brasil, ela já bateu até agosto o teto da meta para o ano inteiro e está perigosamente próxima dos dois dígitos.

Do outro lado, em vermelho ou rosa escuro, estão países com inflação muito baixa ou até deflação - o que também é um risco. 

Se as pessoas imaginam que os preços não vão subir, elas não têm nenhum incentivo para gastar hoje ao invés de amanhã e o dinheiro fica guardado. Além disso, a dívida não perde valor relativo, um risco em países muito endividados como os europeus e o Japão.

População em idade de trabalhar


Mapa do HSBC com dados da economia global em 2015

Este mapa mostra a taxa esperada de crescimento anual da população em idade de trabalhar entre 2015 e 2020, algo que vai contar a favor da África.

A situação não é ideal, mas, também, não ameaça países como Estados Unidos e Brasil. A Índia é o único dos BRICS que ainda pode contar com o chamado "bônus demográfico"; na China, a política do filho único começa a cobrar seu preço. 

No Japão e boa partes da Europa, o envelhecimento da população é uma pressão considerável sobre as finanças públicas e o crescimento (e mais imigração é uma solução óbvia). Na Rússia e no leste europeu, a população está em queda e as perspectivas são sombrias.

Ambiente de negócios 

Mapa do HSBC com dados da economia global em 2015

O último mapa toma como base o último relatório Doing Business do Banco Mundial, que mede a facilidade de fazer negócios em cada país.

O top 10 está em preto: neste grupo ficam países como Singapura, Estados Unidos e Nova Zelândia. Os últimos 30 estão em vermelho, a maior parte deles na África.

O Brasil subiu 3 posições na última edição mas ainda amarga o 120º lugar. Na abertura de uma empresa, o País é o 167º. Em conseguir permissão para construção, é o 174º. Chile e Colômbia são os latino-americanos mais bem posicionados.

Nenhum comentário: