quarta-feira, setembro 23, 2015

Caixa eleva juros de financiamento da casa própria pela 3ª vez no ano

Geralda Doca
O Globo

Taxas começam em 9,9%. Nova tabela passa a vale em 1º de outubro

Felipe Hanower / Agência O Globo 
Taxa efetiva total cobrada de não clientes da Caixa para compra de imóveis
 pelo Sistema Financeiro Habitacional (SFH) passa de 9,45% para 9,90% ao ano 

BRASÍLIA - Depois de reduzir a parcela do valor do imóvel que pode ser financiado, a Caixa Econômica Federal voltou a elevar os juros nos contratos, pela terceira vez no ano. As novas taxas entrarão em vigor a partir do dia 1º de outubro e vão atingir empréstimos financiados com recursos da poupança, que têm juros limitados a 12% ao ano. Com o reajuste, a taxa subirá de 9,45% para 9,90% ao ano. Para quem recebe salário pelo banco, o percentual aumentará de 9% para 9,5% ao ano. A Caixa responde por 70% dos financiamentos habitacionais do país.

Em nota, a Caixa informou que o aumento está em linha com a elevação da Selic (taxa de juros básica da economia) e que a alta não afetará os financiamentos enquadrados no programa Minha Casa Minha Vida, que utilizam recursos do FGTS.

MÓVEL COMERCIAL
“A Caixa Econômica Federal informa que as taxas de juros dos financiamentos habitacionais com recursos do Programa Minha Casa Minha Vida e do FGTS não sofrerão qualquer alteração (...) A alteração se deve ao aumento das taxas de juros básicos”.

A instituição também elevou os juros nos contratos em que a fonte do financiamento é o Sistema Financeiro Imobiliário (SFI — com recursos próprios dos bancos). Neste caso, o percentual subirá de 11% para 11,50% ao ano, na chamada taxa de balcão. Quem tem relacionamento com o banco, passará a pagar 11,20% e se receber salário na Caixa, 11%. Os juros cobrados nos financiamentos de imóveis comerciais também foram reajustados e chegarão a 14% para quem não é cliente.

MUDANÇAS EM SÉRIE
Em maio, a Caixa Econômica Federal já tinha apertado as condições do crédito imobiliário, um mês depois de ter elevado a taxa de juros dos financiamentos. Naquela ocasião, a medida atingiu os contratos de imóveis usados, o que exigiu uma entrada maior dos mutuários. O banco decidiu financiar apenas a metade do valor do imóvel nas operações do Sistema Financeiro da Habitação (SFH), que utiliza recursos da poupança e tem teto de R$ 750 mil. A quota de financiamento caiu de 80% para 50%. Para moradias acima deste valor e enquadradas nas regras do Sistema Financeiro Imobiliário (SFI), a redução da cota foi ainda maior, de 70% para 40%.

No dia 13 de abril, além de elevar em 0,3 ponto percentual a taxa de juros para imóveis novos e usados, a Caixa também reduziu a quota do financiamento nas operações do SFH: a parcela caiu de 90% para 80% para os contratos que utilizam o SAC e de 70% para 50%, nos casos onde se aplica a tabela Price (prestações fixas). Em janeiro, o banco já havia reajustado os juros do crédito imobiliário de forma geral.

Nenhum comentário: