domingo, setembro 27, 2015

EXTERMINADORA DO FUTURO: 30 empresas que mais se desvalorizaram no governo Dilma

COMENTANDO A NOTÍCIA: 


A matéria que segue abaixo, foi produzida pela Exame.com, texto de Karla Mamona, e vem de encontro ao que sempre apontamos: um governante vale pelos resultados, positivos ou negativos, que sua atuação produz. Não são discursos, nem ladainhas, tampouco marketing que o consagram, e sim o quanto sua atuação contribui para beneficiar ou não o seu país.

Na economia e na política Dilma é o desastre que agora já não consegue enganar ninguém. Em torno de 90% dos brasileiros a classificam como medíocre e, diante dos resultados que seu governo produziu, é a mais medíocre dentre todos os presidentes da história brasileira.

O texto a seguir relaciona, dentre as maiores empresas do país e independente do ramo de atividade, aquelas que tiveram perdas bilionárias em valor de mercado. Há de tudo, setor imobiliário, bancário, mineração, siderurgia, estatais como Eletrobrás, Petrobrás e até o Banco do Brasil, telecomunicação, companhias aéreas. São perdas bilionárias em razão da política econômica totalmente ruim e sem direção. Vejam, portanto, o quanto um governo medíocre é capaz de produzir em malefícios para a economia de um país, exterminando seu futuro imediato. 


 No governo Dilma

São Paulo - A Petrobras e a Vale foram as empresas que mais perderam valor de mercado durante o governo Dilma. É o que revela um levantamento realizado pela consultoria Economatica a pedido de Exame.com.

Entre 2011, início do mandato da presidente, até setembro deste ano, a Petrobras perdeu 275 bilhões de reais em valor de mercado.

O escândalo da Lava-Jato, a má administração da empresa nos últimos anos e a derrocada dos preços do petróleo fizeram com que a companhia se desvalorizasse mais do que a OGX (atual OGpar), petroleira de Eike Batista.

No caso da Vale, a companhia perdeu 180 bilhões em valor de mercado. O motivo é a queda no preço das commodities. No último ano, o preço do minério de ferro registrou uma perda de 67%. Veja, no quadro abaixo,  as empresas que mais perderam valor nos últimos anos.

Empresa
Valor de mercado  setembro 2015
Valor de mercado  janeiro 2011
Quanto perdeu em valor de mercado
Petrobrás
R$ 105,04 bilhões
R$ 380,24 bilhões
R$ 275,19 bilhões
Vale
R$ 94,38 bilhões
R$ 275,0 bilhões
R$ 180,62 bilhões
OGX
R$ 97,08 milhões
R$ 64,66 bilhões
R$ 64,56 bilhões
Banco do Brasil
R$ 45,54 bilhões
R$ 89,88 bilhões
R$ 44,33 bilhões
Santander
R$ 50,90 bilhões
R$ 86,46 bilhões
R$ 35,55 bilhões
CSN
R$ 7,68 bilhões
R$ 38,88 bilhões
R$ 21,32 bilhões
Eletrobras
R$ 8,14 bilhões
R$ 26,21 bilhões
R$ 18,0 bilhões
Usiminas
R$ 6,69 bilhões
R$ 20,01 bilhões
R$ 13,32 bilhões
Bradespar
R$ 3,20 bilhões
R$ 15,24 bilhões
R$ 12,02 bilhões
Natura
R$ 8,56 bilhões
R$ 20,54 bilhões
R$ 11,98 bilhões
PDG
R$ 172,17 milhões
R$ 11,23 bilhões
R$ 11,06 bilhões
Cemig
R$ 9,01 bilhões
R$ 16,44 bilhões
R$ 7,42 bilhões
PetroRio (ex-HRT)
R$ 63,36 milhões
R$ 7,34 bilhões
R$ 7,28 bilhões
BM&F Bovespa
R$ 19,63 bilhões
R$ 25,99 bilhões
R$ 6,36 bilhões
Cyrela
R$ 3,21 bilhões
R$ 9,24 bilhões
R$ 6,02 bilhões
OSX
R$ 46,88 milhões
R$ 5,41 bilhões
R$ 5,36 bilhões
Gol
R$ 1,41 bilhão
R$ 6,77 bilhões
R$ 5,36 bilhões
Oi
R$ 2,46 bilhões
R$ 7,75 bilhões
R$ 5,29 bilhões
MMX
R$ 53,52 milhões
R$ 5,31 bilhões
R$ 5,25 bilhões
CPFL Energia
R$ 14,97 bilhões
R$ 19,82 bilhões
R$ 4,84 bilhões
Braskem
R$ 10,38 bilhões
R$ 15,13 bilhões
R$ 4,75 bilhões
MRV
R$ 2,83 bilhões
R$ 7,53 bilhões
R$ 4,69 bilhões
Gafisa
R$ 783,82 milhões
R$ 5,18 bilhões
R$ 4,40 bilhões
Duratex
R$ 4,01 bilhões
R$ 8,17 bilhões
R$ 4,16 bilhões
Banrisul
R$ 2,27 bilhões
R$ 6,74 bilhões
R$ 4,0  bilhões
Ecorodovias
R$ 3,24 bilhões
R$ 7,14 bilhões
R$ 3,89 bilhões
Rossi
R$ 72,81 milhões
R$ 3,93 bilhões
R$ 3,86 bilhões
Copel
R$ 7,45 bilhões
R$ 10,84 bilhões
R$ 3,39 bilhões
Cosan
R$ 7,82 bilhões
R$ 11,21 bilhões
R$ 3,38 bilhões

Nenhum comentário: