sexta-feira, setembro 11, 2015

O ALIENADO: Mercadante defende aumento provisório de impostos, diz Folha. Provisório é?

Exame.com
Com informações Agência Reuters

Valter Campanato/Agência Brasil 
Aloizio Mercadante: "Agora, setembro, outubro, novembro, 
já vamos sentir uma melhora [na economia]"

O ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, defendeu a necessidade de aumentar impostos de forma provisória para ajudar o governo a reverter o déficit projetado no Orçamento de 2016, de acordo com entrevista ao jornal Folha de São Paulo.

A medida, disse Mercadante, segundo a versão online da Folha, também abriria espaço para uma queda mais rápida das taxas de juros.

"Precisamos aumentar impostos provisoriamente, por exemplo, para abrir espaço para uma queda mais rápida das taxas de juros", disse Mercadante, segundo o jornal. "Porque, se a taxa de juros cai, barateia o crédito e o crescimento vem mais rápido."

Questionado se o país vai ter dois anos de recessão, Mercadante afirmou que o governo não está "vendo desta forma. Agora, setembro, outubro, novembro, já vamos sentir uma melhora".

"Porque uma das coisas que aconteceram, neste primeiro semestre, é que as empresas estavam com estoques elevados. Elas reduziram fortemente os estoques para fazer caixa. E agora estão voltando a encomendar."

******* COMENTANDO A NOTÍCIA:

Se separados, Dilma e Mercadante só fazem merda, imaginem juntos!!!??? Imposto “provisório” no Brasil, só pode ser brincadeira de mau gosto. 

Quanto a "melhora da economia" prevista por Mercadante, esqueçam. Talvez final de 2016, começo de 2017 a gente possa respirar melhor. 

Reverter o déficit orçamentário não irá abrir espaço para queda de juros coisíssima nenhuma, senhor Mercadante. Para os juros caírem precisa a inflação recuar e, neste caso, o governo precisa, para tanto, ajudar muito mais gastando menos, o que não se observa no Orçamento  de 2016, já que ali há previsão de aumento real de mais de R$ 104 bilhões.

Para poupar nossos ouvidos de tanta porcaria, Mercadante poderia ficar de bico fechado. 



Nenhum comentário: