quarta-feira, outubro 28, 2015

DESINFORMAÇÃO: Ipea culpa Lava Jato por origem da crise de emprego no Brasil

Bruno Villas Bôas 
Folha de São Paulo  

Paulo Lisboa/Folhapres
PF prende executivos na Lava Jato

O diretor de Estudos e Políticas Sociais do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), André Calixtre, disse nesta terça-feira (27) que a Operação Lava Jato, da Polícia Federal, foi a origem da crise de emprego no país.

[A crise do emprego ] começa com a desorganização da cadeia de petróleo e gás, que tem impacto muito importante sobre a construção civil. O emprego na construção civil cai 6%. É ali que começou o processo da crise de desemprego", disse Calixtre.

Segundo ele, a Operação Lava Jato teve assim um custo social para os brasileiros, ainda que essa não tenha sido esta a intenção da operação, que investiga um grande esquema de corrupção envolvendo a Petrobras, empreiteiras e políticos.

"Não podemos ignorar o fato de as empresas investigadas não poderem mais operar negócios, terem acesso ao crédito e às licitações. A verdade é que a cadeia de petróleo e gás sofreu um imenso impacto", disse o diretor do Ipea.

Ele não soube precisar o impacto da Operação Lava Jato no desemprego no país. A taxa de desemprego cresceu de 7% no primeiro semestre do ano passado para 8,1% no mesmo período deste ano, segundo dados da Pnad Contínua, do IBGE.

Recentemente, a Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda divulgou um estudo mostrando a redução dos investimentos da Petrobras seria responsável por 2 pontos percentuais da queda do PIB (Produto Interno Bruto) neste ano.

Oficialmente, a Secretaria de Política Econômica prevê uma queda de 2,44% do PIB neste ano. Os economistas do mercado consultados pelo boletim Focus, do Banco Central, preveem uma retração mais intensa da economia, de 3,02% do PIB neste ano.

"O resto [da crise de emprego] veio depois, com a queda da atividade econômica. Houve essa confluência da consequência [da Lava Jato] na cadeia [do setor de óleo e gás] e a reversão das expectativas econômicas e do cenário externo", disse.

Calixtre participou do evento para apresentar um boletim do Ipea sobre mercado de trabalho, no Centro do Rio. Após o fim do evento, ele disse à Folha que "sem os indícios de corrupção não haveria a Lava Jato e nem o impacto no emprego".

Sabe-se que a Petrobras vivia problemas de caixa antes da divulgação do acordo de delação premiada de Paulo Roberto Costa, em setembro do ano passado. Para o diretor, porém, o ajuste na Petrobras teria sido "mais suave" sem a crise.

Veja a cronologia do inferno astral da Petrobras


Silvia Izquierdo/Associated Press


MEDIDAS
O documento divulgado pelo Ipea, órgão vinculado ao Ministério do Planejamento, conclui que os indicadores do mercado de trabalho tiveram resultado "preocupante no passado recente", como a "elevação expressiva" da taxa de desemprego medida pelo IBGE.

Segundo o estudo do Ipea, o mercado de trabalho foi afetado por um "momento delicado", com a queda no nível de atividade e inflação elevada, o aumento dos juros e o "contexto político marcado por incertezas".

O boletim de emprego do Ipea também reuniu artigos sobre as medidas adotadas pelo governo para enfrentar a piora do mercado de trabalho. As conclusões do Ipea foram basicamente favoráveis às medidas adotada pelo governo.

Um trabalho mostra que o custo do Programa de Proteção ao Emprego do governo, que beneficiava 11.464 pessoas por volta de junho deste ano, quando a pesquisa foi feita, seria muito mais barato do que pagar seguro desemprego aos trabalhadores.

Por esse programa, uma empresa pode reduzir salários e jornada dos trabalhadores em troca de garantia no emprego. Metade da redução salarial do trabalhador é bancada pelo governo. A ideia é evitar mais demissões no país. 

******* COMENTANDO A NOTICIA:

Em idos tempos, o IPEA já foi uma entidade mais séria, mais respeitável. Com a chegada do PT no Poder, a entidade desvirtuou-se, e passou a tratar a realidade brasileira, pela ótica torta dos petistas.  

Dali nasceu a volúpia da “nova classe média”, aquela gente que foi promovida econômica e socialmente sem ter um centavo a mais de renda,  e ganhando meio salário mínimo por mês. 

A Lava Jato, prá começo de conversa, não tem nada a ver com a recessão, com o desemprego, a inflação, os juros altos, o desequilíbrio  fiscal, o aumento da dívida pública.  O IPEA, com sua teoria fantasiosa, quer livrar a cara da governanta pelo abismo que a economia brasileira está vivendo, em razão de seu governo medíocre. Senão, vejamos: a queda no preço das commodities teve início em 2012; a indústria vem em queda livre há quatro anos, período em que foram fechados mais de 1 milhão de empregos; o desajuste no caixa do governo se deu, principalmente, por conta da intervenção desastrada no setor elétrico em 2013; o aumento da dívida vem de muito antes  da Lava Jato ser deflagrada, com os repasses do Tesouro para o BNDES em volume superior a R$ 400 bilhões; a despesa cresce muito acima do crescimento do PIB  desde 2006; a despesa com pessoal explodiu desde o primeiro mandato de Lula e que Dilma deu continuidade pelo aparelhamento irresponsável da máquina pública; só em cargos comissionados, aqueles que servem apenas para agradar aos políticos, produzir despesas e sem provocar benefício algum para sociedade foram quase 40 mil novos cargos; e não foi a Lava jato que obrigou os governos petistas aumentarem  a estrutura ministerial em quase 40 pastas. 

A derrocada da economia, que fechará 2015 com o segundo ano consecutivo de crescimento negativo do PIB, e com o segundo ano de déficit bilionário das contas públicas,  se deve unicamente ao descontrole fiscal iniciado por Lula em seu segundo mandato e que Dilma aprofundou de 2011 em diante.  

Seria bom que o IPEA voltasse a se tornar uma entidade ao menos confiável no plano da análise econômica, deixando a política para os políticos, e a desculpa esfarrapada para os governantes incompetentes e medíocres, incapazes de assumir a responsabilidade de seus próprios erros e escolhas. 

Nenhum comentário: