domingo, outubro 11, 2015

Governo faz cartilha para ministros defenderem 'pedaladas'

Felipe Frazão
Veja online

(Valter/Campanato/Agência Brasil)
 Entrevista coletiva do ministro-chefe da Casa Civil,
 Jaques Wagner em Brasília (DF)

A Advocacia-Geral da União preparou um roteiro de perguntas e respostas para os ministros do novo primeiro escalão da presidente Dilma Rousseff defenderem as manobras fiscais irregulares que provocaram a reprovação do balanço de 2014 pelo Tribunal de Contas da União.

De acordo com o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, o ministro Nelson Barbosa (Planejamento) e o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, apresentaram a estratégia de defesa aos ministros durante a reunião convocada por Dilma nesta quinta-feira.

A ideia é que os ministros de Dilma saibam como defender as pedaladas fiscais e unifiquem o discurso a favor do governo. O Palácio do Planalto encomendou aos ministros que eles "interajam politicamente" junto às respectivas bancadas, ou seja, convençam deputados e senadores da legalidade das operações rejeitadas pelo TCU. O governo quer que os ministros atuem como formadores de opinião e propaguem os argumentos também em suas bases eleitorais e setores sociais de origem.

Jaques Wagner afirmou que a presidente parecia "bastante tranquila" quanto à decisão do tribunal e que coube ao advogado-geral, Luís Inácio Adams, contemporizar o resultado negativo por unanimidade (9 a 0) na análise das contas. Conforme relato do Wagner, Adams disse aos parlamentares que 98% das questões que vão à plenário no TCU são votadas por consenso. "Não considero uma derrota", disse Wagner. "A batalha definitiva será na CMO [Comissão Mista de Orçamento] e depois no Congresso Nacional."

****** COMENTANDO A NOTÍCIA:

Podemos traduzir o "defender as pedaladas fiscais " da presidente, por  defender os crimes fiscais que ela cometeu, constatados pela equipe de peritos do Tribunal de Contas da União. É ou não o governo organizado para o crime?



Nenhum comentário: