quinta-feira, outubro 15, 2015

Não há crime nobre

Adelson Elias Vasconcellos



Não há, nem nunca haverá nobreza no crime, tenha ele a natureza que tiver. Quando Lula admite que Dilma cometeu as tais pedaladas fiscais, que se tornou um nome bem humorado para crime fiscal, para logo em seguida justificar que foi por uma boa causa, isto é,  para pagar programas sociais,  está a dizer que, a depender das razões, a lei pode ser violada. Mas, como cretinice neste senhor sempre foi uma característica forte de seu caráter torto, se alguém da oposição cometesse o mesmo desatino e se justificasse com as mesmas sandices, ele seria o primeiro na fila dos acusadores a pedir a cabeça do desvalido.

Infelizmente, a cultura bandida de Lula não é um caso fortuito, ele revela a cultura da impunidade que fragiliza as instituições, o regime democrático, o estado de direito e, por conseguinte, infelicitam todo um país. Está na base da nossa tragédia, da nossa estupidez, da nossa ignorância extrema, por entendermos que a lei, ora a lei , os limites que ela impõem são para os otários, os idiotas bonzinhos que acreditam na civilização, no respeito ao direito alheio, no espaço individual que, por sagrado, não poderia jamais ser ocupado por quem quer que seja.  É por isso que as esquerdas subjugadas pelo PT admitem a invasão de propriedades, sejam urbanas ou rurais, como sendo “causas sociais”. É por isso que eles admitem o estelionato eleitoral porque a causa é a ascensão do “governo popular” que, outra coisa não é senão o populismo na sua forma mais primitiva e anacrônica. Em outros termos: para Lula e as esquerdas, o baguncismo sempre será um método de subverter a ordem constitucional, fazem da moral do quanto pior melhor, a sua estrela guia. 

Por outro lado, Dilma ancorada nas decisões esdrúxulas de dois ministros do STF,  se encheu de brios  para enaltecer a si mesma. Na noite desta terça-feira, em congresso da CUT, partiu para o desafio. Tivesse um pingo de respeito ao país para o qual foi eleita para governar,  sequer teria comparecido à assembleia de vampiros das tetas públicas, quanto mais dizer por exemplo isto: 

“Quem tem força moral, reputação ilibada e biografia limpa, para atacar a minha honra?”. 

Começo pela biografia. Desafio que a senhora Dilma nos mostre e nos prove em que momento sua atuação na ditadura militar, tinha como propósito a redemocratização do Brasil. Que nos prove que as cartilhas dos movimentos terroristas de que participou continham a palavra redemocratização.

Em frente. Força moral, senhora Rousseff,  você jogou no lixo do estelionato eleitoral que praticou em 2014,  razão pela qual sua aprovação é menor que o índice de inflação do país. 

Agora vamos para a tal “reputação ilibada”. Dilma sempre foi tida como a gestora eficiente  na área de energia, razão pela qual assumiu no primeiro mandato de Lula o ministério que cuida do assunto. E, de contrapeso, foi conduzida para a presidência do Conselho de Administração da Petrobrás, na  mesma época.  Pois bem, em que  ano foi montado o esquema conhecido por petrolão e no governo de quem? Quem presidia o Conselho de Administração da estatal quando da compra da Refinaria Pasadena, que provocou um rombo à Petrobrás de mais de mais  de R$ 1,00 bilhão? Quem governava o país quando adotou uma medida provisória em 2013 que quebrou o setor elétrico? Quem governava o país e defenestrou as contas públicas provocando recessão, desemprego, redução de salários e cortes na área social? No governo de quem o Brasil se tornou um dos países mais violentos do mundo com quase 60 mil homicídio por ano?  Quem governava o país cujas políticas quebraram a indústria nacional? 

Reputação, senhora Rousseff, é algo que se conquista com ações nobres,  com trabalho eficiente e que resultam em boas obras.  Seu governo, é perceptível hoje por mais de 90% da população, foi e tem sido um desastre ímpar na história brasileira. 

E lhe lanço um desafio: prove por A+B que atitude da oposição, ao pedir seu impeachment, fere as leis do país? Mostre-nos que capítulo ou capítulos, tanto da Constituição quanto da Lei 1079, a senhora ainda não conseguiu compreender quando o assunto é impeachment presidencial.   O mesmo partido que condena a oposição porque esta faz oposição, direito inalienável da democracia, é o mesmo  que hoje faz aquilo que prometeu que não faria na área da governança. 

É fácil, numa plateia de todos a favor, porque pendurados estão nas gordas tetas do Tesouro Nacional além de gigolôs permanentes do trabalhador brasileiro, partir para agressão, para provocação, para as acusações mentirosas e gratuitas. Infelizmente, não sou ligado a nenhum partido de oposição, porque se o fosse reuniria este seu discurso rombudo e farsante e abriria um processo contra vossa senhoria por calúnia e difamação.

Assim, o que temos, então?  Temos que, com força moral no lixo,  reputação manchada pelo barro da mentira e falsidade, e uma biografia eivada de  quebradeiras por corrupção e incompetência  e ação  contra a democracia, que força moral resta a senhora presidente? Força talvez, mas moral? Não tem honra quem, para se reeleger, golpeou a boa fé do país!

Moralistas sem moral, dona Dilma? Então trate logo de achar a sua que se perdeu no caminho de muitas pedaladas contra as leis e estelionatos de palanque!!!

Neste governo ninguém sabe ler?
No site do Estadão, lemos que o “... Governo tentará acordo com o TCU para corrigir pedaladas fiscais...”, para em seguida informar que “...Equipe econômica afirma que interpretações de que manobras continuam neste ano estão equivocadas...”.

Ora, ao falar em acordo, significa dizer que o governo pretende que o TCU deixe de cumprir a lei. Estes patetas deveriam é ler o que determina a lei de responsabilidade fiscal e tratar de cumpri-la. Não há o que interpretar, basta cumprir os limites que ela impõe e pronto.  Como também tem que deixar de lado a cultura de que, se os outros fizeram, eles podem fazer. Um crime jamais servirá de desculpa para outro crime. Simples assim.

Trocando as bolas
O ministro Joaquim Levy, da Fazenda, afirmou nesta quarta-feira, que sem a CPMF o seguro-desemprego corre risco. Ué, mas a CPMF não era para cobrir o rombo da Previdência?  Eis aí mais uma razão para a CPMF ser esquecida. A verdade é que até agora o governo só podou a perfumaria, por ser covarde em mexer no essencial que é o tamanho insustentável do Estado brasileiro. Sem resolver isto, não há que se falar em aumentar ainda mais a carga tributária. 

Porque,  no fundo, pagamos impostos não é para deleite e enriquecimento de uma elite estatal, e sim para termos serviços públicos de qualidade, coisa da qual o governo Dilma, como já tinha sido o de Lula, abdicou completamente. Bolsa Família não justifica nem crimes fiscais, tampouco cobre o buraco da ineficiência.

Por e-mail ou pelo correio, madame?
Posando de santa, a madame soltou o verbo depois que o STF a amparou. Agora, Dilma desafia "golpistas" a acharem alguma irregularidade. Primeiro que golpistas não são os que cumprem a constituição, certo,madame? E o impeachment está plenamente consagrado pela carta suprema.

Segundo, já que pede para alguém citar irregularidades, podemos mandar uma lista para a madame. Só falta ela nos dizer como quer recebê-la, pelo correio ou por e-mail?

Uma hecatombe social que não preocupa “madama”
Uma reportagem do jornal O Globo, reproduzida nesta edição, traz um dado que representa a própria falência do Estado, governado há treze anos pelo PT. O texto informa que em“Em quase 20% dos lares do país, nenhum morador tem emprego". ISTO É UMA VERGONHA!!!!  Confesso que um misto de indignação e vergonha me assaltou. Que destino está sendo dado a este povo que suporta uma carga tributária extorsiva, sem serviços públicos decentes, e que não encontra oportunidades para deixar de ser ociosa? 

Vale repetir aqui o comentário que acrescentei aquele texto: 

Não é à toa que o governo enche a boca para se gabar de seu programa que deveria ser social, mas que há muito tempo perdeu a função social para tornar-se apenas eleitoreiro. Ora, se social fosse, ao invés de aumentar   o contingente de beneficiários deveria era reduzir-se ao longo do tempo. Ou como justificar que seja social se nele há gente a mais de 10 anos e, se nada for mudado, continuará vitaliciamente sendo sustentado pelo Estado!!!

Infelizmente, poucos se alertaram para esta hecatombe social, muito menos o governo que, enquanto tiver caixa para bancar seu papa votos, não se sentirá nenhum um pouco incomodado pela estatística vergonhosa. CADÊ A INDIGNAÇÃO, GENTE? CADÊ? E que ações este governo pobre e medíocre anunciou para reduzir esta calamidade? Ah, perdão, esqueci que madame está preocupada apenas em não ser punida com a perda do mandato por seus crimes. Não teve tempo de pensar em governar o Brasil para os brasileiros...

Nenhum comentário: