terça-feira, novembro 17, 2015

Coutinho e Dilma mentiram sobre o BNDES; Bumlai é o próximo

Carlos Newton
Tribuna da Internet

Dilma mentiu sobre garantia do pagamento do Porto de Cuba

O problema das Comissões Parlamentares de Inquérito é o despreparo dos parlamentares, que não são abastecidos com informações pertinentes. Essa incompetência ficou clara no ano passado, quando o economista Luciano Coutinho, presidente do BNDES, esteve várias vezes em CPIs, mentiu perante todas elas, afirmando que não poderia dar informações sobre as obras financiadas no exterior porque o sigilo bancário não o permitia. Acontece que a lei citada por ele determina exatamente o contrário, ao estabelecer que as operações dos bancos públicos não podem ser submetidas a sigilo.

MENTIRAS & MENTIRAS
Com uma desfaçatez impressionante, Luciano Coutinho mentiu repetidas vezes, jamais foi contestado, nada aconteceu, nada mesmo. Agora, surge a informação de que a própria Dilma Rousseff também mentiu a respeito, ao afirmar durante a campanha eleitoral que a Odebrecht era responsável pela garantia do pagamento na construção do Porto de Mariel, em Cuba. Através da Polícia Federal, agora se sabe que a garantia foi dada pelo próprio Tesouro Nacional, e quem tem de pagar é o governo cubano, vejam a que ponto de irresponsabilidade chegamos.

Agora, a CPI do BNDES acaba de convocar o empresário José Carlos Bumlai, grande amigo de Lula e dos filhos do ex-presidente, a ponto de terem escritórios no mesmo endereço.

ENTRADA FRANCA
No segundo governo Lula uma das empresas de Bumlai, a São Fernando Açúcar e Álcool, era parceira do grupo Bertin e obteve R$ 395,2 milhões de empréstimos do BNDES, em operação direta, sem intermediação de outros bancos.

A intimidade de Bumlai e Lula era tamanha que ele era a única pessoa com livre acesso ao Palácio do Planalto, em cuja portaria havia um “Aviso Específico” com três fotografias do empresário, liberando a entrada dele “em qualquer tempo e em qualquer circunstância”.

Apesar de Bumlai ter sido imediatamente atendido pelo BNDES, recebendo R$ 395,2 milhões do BNDES a juros subsidiados, a empresa entrou em parafuso e começou a atrasar o pagamento a fornecedores.  Menos de dois anos depois, em novembro de 2011, um credor da São Fernando Açúcar e Álcool então pediu a falência dela pelo calote de míseros R$ 523 mil.

Em 2012, uma auditoria já apontava que o alto endividamento da São Fernando gerava dúvidas sobre sua “capacidade de continuidade”. Mesmo assim, a empresa pediu um novo empréstimo ao BNDES, no valor R$ 101,5 milhões.

REGULAMENTO PROÍBE
No Regulamento do BNDES, existe uma norma que proíbe a concessão de empréstimos a empresas que respondam a pedido de falência na Justiça. Para quebrar a regra e atender o amigo do presidente da República, foi armada uma operação triangular, com a cumplicidade do Banco do Brasil e do BTG, que se ofereceram como avalistas. E o BNDES liberou mais R$ 101,2 milhões para a São Fernando Energia, mesmo sabendo da condição pré-falimentar do grupo.

E não deu outra. Em abril de 2013, a empresa São Fernando pediu recuperação judicial. Em setembro, o plano de reestruturação foi aprovado, com a dívida da São Fernando Açúcar e Álcool com o BNDES sendo estimada em R$ 330,2 milhões. E mesmo com a aprovação da recuperação judicial, e empresa continuou sem pagar ao BNDES, que esperou e esperou, até que em agosto de 2015, quando a situação já estava virando um escândalo, enfim pediu a falência do grupo por inadimplência.

BANCO DO BRASIL E BTG
O fato concreto é que o BB terá pagar ao BNDES, junto com o BTG, com juros e correção monetária, os R$ 101,5 milhões que a São Fernando pegou na última operação.

Compreensivelmente, o BB e o BTG não querem comentar a operação que intermediaram para que o BNDES liberasse irregularmente R$ 101,5 milhões à empresa de Bumlai do grande amigo de Lula e sua família. É um assunto tabu, que todos tentam esquecer, mas a imprensa não deixa.

E agora Bumlai terá de comparecer à CPI do BNDES. Espera-se que os parlamentares estejam preparados e façam as perguntas certas. Mesmo que ele não responda, o escândalo já está garantido.

Nenhum comentário: