quarta-feira, dezembro 02, 2015

TJDFT gasta R$ 1,1 milhão com poltronas

Dyelle Menezes
Contas Abertas


O Tribunal de Contas do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) não poupou recursos na compra das novas poltronas do órgão. Ao todo foram gastos R$ 1,1 milhão com as aquisições. Do total, R$ 98,7 mil foram destinados para a compra de 67 poltronas giratórias de espaldar alto, com apoio de cabeça e braços. Outros R$ 121,4 mil foram desembolsados para 163 unidades de poltronas giratórias com espaldar médio, com braços..

Na parte “mais pesada” da conta estão R$ 516,4 mil para a compra de 773 poltronas giratórias de espaldar baixo, com braço. Para fechar a conta: R$ 401,1 mil em 724 poltronas giratórias também com espaldar baixo, mas sem braços.

O Gabinete do Comandante da Aeronáutica foi na mesma linha de compras do TJDFT nesta semana, mas com um pouco mais de moderação. Foram gastos R$ 21,5 mil para compra móveis para escritório. Na lista de compras estão 10 cadeiras giratórias altas, seis mesas de escritório angular, uma mesa de escritório peninsular e quatro armários de superfície semi circular.

O Gabinete do Comandante da Aeronáutica também reservou R$ 4,2 mil para a compra de 10 escadas multifuncionais. Os acessórios são do tipo 8 em 1, com 16 degraus cada.

Bateria para triciclo
A Câmara dos Deputados reservou R$ 2,7 mil para o fornecimento de três unidades de carregador portátil inteligente de bateria. A marca dos aparelhos é Freedom e são para uso em triciclos motorizados do Programa de Acessibilidade da Casa. Os triciclos ajudam visitantes com dificuldades de locomoção. O pedido foi realizado pelo Departamento de Tecnologia da Câmara.

No Senado
O Senado Federal, por sua vez, reservou R$ 10,1 mil para a compra de 134 metros quadrados de capachos, que são uma espécie de tapete resistente, fabricado com fibras grossas e ásperas. O Senado ainda empenhou R$ 21,7 mil para a compra 700 grampeadores de mesa. A Casa também irá pagar R$ 1,4 mil para a aquisição de 400 tesouras de costura da marca Leonora.

Boas condições climáticas no STF
O Supremo Tribunal Federal (STF) garantiu a temperatura e a umidade para suportar o clima de deserto característico de algumas épocas em Brasília. A Corte reservou R$ 1,4 mil para a compra de 15 umidificadores de ar com controle de intensidade de névoa e reservatório mínimo de três litros. Outros R$ 6,1 mil serão desembolsados para a compra de 20 ventiladores tipo torre com ventilação giratória na cor preta ou cinza.

Carrinho cheio no TST
O Tribunal Superior do Trabalho (TST), por sua vez, empenhou R$ 3,7 mil para compra de armário embutido de quatro portas de correr para armazenamento em geral, em MDF branco texturizado. O Tribunal também irá gastar R$ 1,7 mil para a aquisição de câmera digital com sensor de aproximação de 20,3 megapixels.

O TST ainda separou R$ 223,79 para a compra de furadeira sem impacto. Outros R$ 2,3 mil serão destinados à compra de dois gravadores de áudio portátil, com microfones condensadores e wi-fi. O prazo de fornecimento dos produtos é de no máximo 60 dias corridos, contados a partir do recebimento da nota de empenho pela contratada.

A Corte não parou de encher o carrinho por aí. Na lista entrou mais um refrigerador, com custo de R$ 835,31. O eletrodoméstico tem capacidade para 120 litros de armazenagem, na cor branca, com altura de 86 cm, largura de 48 cm e profundidade de 52 cm. A marca do equipamento é Cônsul.

*Vale ressaltar que, a princípio, não existe nenhuma ilegalidade nem irregularidade neste tipo de gasto feito pela União e que o eventual cancelamento de tais empenhos certamente não ajudaria, por exemplo, na manutenção do superávit do governo ou em uma redução significativa de despesas. A intenção de publicar essas aquisições é popularizar a discussão em torno dos gastos públicos junto ao cidadão comum, no intuito de aumentar a transparência e o controle social, além de mostrar que a Administração Pública também possui, além de contas complexas, despesas curiosas.

Nenhum comentário: