quinta-feira, março 03, 2016

Andrade Gutierrez também pagou por pesquisas eleitorais da campanha de Dilma

Veja online
Da redação

Executivos da empreiteira admitiram à força-tarefa da Lava Jato que repassaram 6 milhões de reais à campanha de Dilma por meio de contratos simulados com agência de comunicação

(Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) 
Contas da campanha da então candidata Dilma Rousseff à presidência 
da República em 2010 foram pagas pela empreiteira Andrade Gutierrez 

Além de bancarem de forma irregular as despesas de campanha da então candidata à presidência da República Dilma Rousseff, em 2010, executivos da Andrade Gutierrez também pagaram por pesquisas eleitorais que mostravam Dilma na frente da corrida eleitoral em momentos importantes da campanha, segundo a edição desta quarta-feira do jornal O Estado de S. Paulo. Os executivos da empreiteira fizeram as revelações em depoimentos prestados depois de firmarem acordo de delação premiada com a força-tarefa da Operação Lava Jato.

Segundo os onze executivos ouvidos, a empreiteira simulou contratos de 6 milhões de reais com a agência de comunicação Pepper para repassar verbas à campanha que elegeu Dilma. As dívidas de campanha foram quitadas a pedido do governador mineiro Fernando Pimentel (PT). A empresa é investigada na Operação Acrônimo, que tem como um dos alvos o petista.

Em 2010, a Pepper desempenhou papel decisivo na campanha de Dilma Rousseff, quando fez de tudo um pouco: da produção de conteúdo e organização da militância nas redes sociais ao pagamento, com dinheiro vivo, do aluguel do imóvel de luxo que servia de bunker para a coordenação petista. De coadjuvante, a agência de comunicação passou a protagonista, tornando-se uma ferramenta imprescindível para a solução de vários problemas. Vitorioso na eleição, o PT retribuiu a ajuda recebida e garantiu à agência contratos milionários custeados com recursos públicos.

******* COMENTANDO A NOTÍCIA:

Além de constatarmos que o país está sendo governado por uma presidente ilegal, a notícia coloca sérias dúvidas sobre a isenção das pesquisas eleitorais (coisa que se desconfia há tempos!). Daí porque seria imprescindível conhecermos qual ou quais agências manipularam a opinião pública.  

Nenhum comentário: