quarta-feira, março 02, 2016

Mercado formal de trabalho fecha 99.694 postos em janeiro

Geralda Doca 
O Globo

Resultado é o pior no período desde 2009; em 2015, foram encerradas 1,5 milhão de vagas

Arquivo / Custódio Coimbra /Agência O Globo
Desempregados aguardam para se cadastrar em uma agência 
da Secretaria Estadual de Trabalho e Renda 

BRASÍLIA - O mercado formal de trabalho começou o ano com saldo negativo de 99.694 postos. Foi o pior resultado para o período desde janeiro de 2009, quando a crise financeira internacional atingiu o país. Em janeiro de 2015, foram eliminados 81.774 empregos com carteira assinada e, desde abril, as demissões vêm superando as contratações de forma consecutiva _ o que resultou no fechamento de 1,5 milhão de vagas no ano. Os números são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

No mês passado, os setores que mais demitiram foram comércio, com saldo negativo de 69.750 postos, devido principalmente às rescisões de trabalhadores temporários no fim de ano; seguido por serviços, com 17.159 desligamentos e indústria de transformação, com resultado negativo de 16.553. Na construção civil, foram fechadas 2.558 vagas. Já na agricultura, foram gerados 8.729.

Para Rodolfo Torelly, do site especializado Trabalho Hoje, o resultado mostra que o mercado de trabalho continuará ruim neste ano. Ele disse que as perdas em 2016 poderão se aproximar de dois milhões de empregos.

_ O dado de janeiro reforça que as demissões continuam se acelerando _ disse ele. _ Se o país não consegue gerar empregos e está em pior situação, perdendo postos de trabalho, a tendência é de alta da taxa desemprego _ destacou Torelly.

Pesquisa divulgada na quinta-feira pelo IBGE mostrou que a taxa subiu para 7,6% nas regiões metropolitanas, a maior para o mês de janeiro desde 2009. No mesmo período do ano passado, estava em 5,3%.

Nenhum comentário: