domingo, abril 24, 2016

Prévia do PIB mostra 14º mês de retração da economia em fevereiro, informa o BC

Bárbara Nascimento
O Globo

Segundo índice IBC-Br, atividade registrou retração de 0,29%

Dado Galdieri / Bloomberg
 Indústria: fábrica da GM em São Caetano, São Paulo 

BRASÍLIA - A economia brasileira recuou novamente em fevereiro. Segundo o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB), a atividade teve retração de 0,29% no segundo mês do ano, na comparação com janeiro (após ajuste sazonal). Na comparação com o mesmo mês de 2015, o tombo foi de 4,54%.

Esse foi o décimo quarto mês seguido que o indicador apresentou retração. A última vez em que o IBC-Br teve um aumento foi em dezembro de 2014. Segundo o economista-chefe para América Latina do Goldman Sachs, Alberto Ramos, a atividade voltou ao mesmo nível que estava no início de 2010. Caso a economia fique parada em março, o primeiro trimestre de 2016 terá registrado retração de 1,3%, acrescentou o banco americano.

O desempenho ruim do IBC-Br é registrado em um período em que o governo sofre com a queda livre da arrecadação e com a falta de confiança de consumidores e investidores. Com a atividade estagnada, o desemprego aumenta. Além disso, a possibilidade de impeachment da presidente Dilma Rousseff aumenta o cenário de incerteza e dificulta uma retomada.

“Esperamos que a economia continue a enfrentar a resistência das condições de financiamento, alta inflação, piora significativa do mercado de trabalho, alta carga tributária, elevado endividamento (...) e confiança deprimida”, analisou Alberto Ramos. “No lado positivo, uma taxa de câmbio mais competitiva e fraca demanda doméstica deve gradualmente elevar a contribuição das exportações líquidas para o crescimento. Deve, assim, proporcionar um piso para a esperada contração da atividade nos próximos trimestres.”

Os economistas do banco Fator observaram que, apesar da retração, o resultado em fevereiro veio melhor do que as expectativas e representou uma desaceleração na comparação com os meses anteriores. O banco esperava queda de de 0,75% no mês, enquanto a mediana das projeções do mercado financeiro indicava queda mensal de 0,50%. Em janeiro, o BC revisou o resultado para uma retração de 0,61%, em vez dos 0,68% calculados anteriormente. Na comparação com o mesmo mês de 2015, janeiro registrou tombo 7,71%.

Nenhum comentário: