quinta-feira, maio 26, 2016

A QUE PONTO CHEGAMOS: Cortes no orçamento podem deixar Aneel, a agência da energia, sem luz

Veja online
Com informações Agência Reuters

Situação da agência é 'desesperadora', segundo o diretor Tiago de Barros Correia

(Reinaldo Canato/VEJA)
 Contingenciamento já afetou algumas atividades da Aneel,
 como o atendimento por telefone

A Aneel, agência responsável por regular o setor elétrico, vem sofrendo com o contingenciamento de recursos do governo federal e, se nada for feito, pode ficar sem dinheiro para pagar a conta de luz de suas instalações em pouco tempo, disse nesta segunda-feira o diretor da autarquia Tiago de Barros Correia.

Correia alertou para situação difícil enfrentada pelo órgão e a classificou como desesperadora. O contingenciamento é uma tentativa do governo de fechar suas contas.

"Do jeito que está na Aneel, a gente não fecha o ano e vai ter que interromper o serviço, mas daqui a dois meses a gente não tem dinheiro para pagar a conta de luz. O grau de desespero é este ano", disse o diretor da Aneel a jornalistas em evento de energia promovido pela Fundação Getulio Vargas, no Rio de Janeiro.

O órgão, que é responsável por controlar a qualidade dos serviços prestados pelas distribuidoras e pela frequência do abastecimento, entre outras atribuições, pode ainda ficar sem verba para realizar uma das suas atividades, que é a fiscalização do sistema elétrico brasileiro. "A Aneel precisa de uma resposta até o mês de junho para não interromper mais serviços", disse ele, que aguarda a votação nesta semana da meta fiscal para 2016.

Para custeio de suas atividades em 2016, a Aneel estimou orçamento de 200 milhões de reais. Entretanto, o governo aprovou a metade do valor. Por meio de emendas parlamentares para Ouvidoria e Fiscalização, o valor foi ampliado para 120 milhões de reais.

Posteriormente, o decreto 8.760/16 reduziu o orçamento para 90 milhões de reais, e em abril, o decreto 8.700/16 restringiu o orçamento da agência a 44 milhões de reais, segundo documento da própria Aneel.

A agência vem tentando desde o início do processo de contingenciamento, sem sucesso, autorização do governo para acessar um fundo de contingência de 2,5 bilhões de reais. O fundo foi criado para situações orçamentárias complicadas como a atual, tendo sido alimentado com repasse de superávits acumulados pela Aneel nos últimos anos.

No início do mês, a agência informou que, em função de contingenciamento orçamentário, já havia suspendido alguns serviços de sua central de teleatendimento.

******* COMENTANDO A NOTÍCIA:

O povo brasileiro não pode permitir, em hipótese alguma, permitir que a senhora Rousseff retorne a desgovernar o país. Não bastasse toda  atraso, a recessão profunda, o desemprego, o endividamento, a inflação e juros altos, queda de produção e renda, ter a agência reguladora do mercado elétrico de ficar às escuras além de suspender serviços de teleatendimento, é de se perguntar: este já é o fundo do poço, ou falta quanto para chegarmos lá?


Nenhum comentário: