quinta-feira, maio 26, 2016

Contas externas têm primeiro superávit desde 2009, diz BC

Da redação
Veja online

Em abril, transações correntes fecharam com saldo positivo de 412 milhões de dólares, um reflexo direto da melhora na balança comercial brasileira

(Cristiano Mariz/VEJA) 
Balança comercial registrou um saldo positivo 
de US$ 4,64 bilhões no mês passado 

Após um rombo de 855 milhões de dólares em março, as transações correntes em abril tiveram um superávit de 412 milhões de dólares, primeiro dado no azul em sete anos, informou o Banco Central (BC) nesta terça-feira. O desempenho, primeiro resultado positivo desde os 124,8 milhões de dólares registrados em abril de 2009, superou a expectativa de um déficit de 900 milhões de dólares apontado em pesquisa da Reuters.

O resultado foi reflexo direto da melhora da balança comercial. "Foi uma surpresa, a gente caminhava para isso, mas ocorreu um pouco mais cedo", afirmou o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel. "Abril é um mês sazonalmente favorável para a balança, mas anda assim foi melhor."

Assim como nos meses anteriores, o dólar mais forte em relação ao real e o baixo apetite pelo consumo em meio à derrocada da economia têm feito as importações caírem vertiginosamente. Ao mesmo tempo, as exportações em abril tiveram uma ligeira melhora na comparação anual.

Com isso, no mês passado, a balança comercial registrou um saldo positivo de 4,64 bilhões de dólares. A conta de serviços ficou negativa em 2,52 bilhões de dólares e a conta de renda primária também ficou deficitária em 1,93 bilhão de dólares. No mês, os investimentos diretos no país alcançaram 6,82 bilhões de dólares.

Nos quatro primeiros meses do ano, o déficit nas contas externas recuou a 7,16 bilhões de dólares, frente a 31,94 bilhões de dólares no mesmo período de 2015. Em 12 meses até abril, o déficit passou a responder por 1,97% do Produto Interno Bruto (PIB).

Projeção – 
Para o ano, a expectativa do BC é, por enquanto, de um déficit de 25 bilhões de dólares, enquanto economistas ouvidos pelo BC na mais recente pesquisa Focus já veem um resultado negativo em apenas 17,2 bilhões de dólares. Quanto menor o rombo, mais baixa é a necessidade de financiamento estrangeiro para a economia.

Maciel ponderou que o BC vai rever a projeção de 25 bilhões de dólares na conta corrente em 2016 no próximo mês. "O déficit deve ser menor que isso", disse, antes de informar que a projeção para maio está próxima da neutralidade, perto de 200 milhões de dólares de déficit.

Nenhum comentário: