domingo, maio 29, 2016

Polícia não descansará até prender todos, diz Beltrame. Sem punição, porém, a prisão será inútil.

Exame.com
Com informações Agência Brasil 

Thin 
Estupro: “Estamos com duas delegacias investigando
 essa barbárie, para uma rápida resposta à sociedade"

O secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, afirmou hoje (27) que as autoridades "não vão descansar até identificar e prender" todos os envolvidos no estupro coletivo de uma jovem de 16 anos, ocorrido no último fim de semana, em Jacarepaguá, zona oeste da capital fluminense.

De acordo com o relato da jovem à polícia, ela teria sido violentada por 33 homens fortemente armados numa casa no alto do Morro São José Operário, na Praça Seca. Os homens seriam ligados ao tráfico de drogas na região.

“Estamos com duas delegacias investigando essa barbárie, para uma rápida resposta à sociedade. Esse episódio mostra como operam as punições das facções criminosas, que ainda tentam impor o silêncio às vítimas e testemunhas. Não vão conseguir. Não vamos descansar até identificar e prender todos”, disse Beltrame em comunicado publicado no Twitter da secretaria.

A Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal do Rio de Janeiro também se manifestou contra o episódio e cobrou "rapidez na apuração, identificação dos responsáveis e punição dos envolvidos no crime".

“Trata-se de um ato de barbárie e covardia”, afirmou em nota o presidente da comissão, Jefferson Moura (Rede).

******* COMENTANDO A NOTÍCIA:

O caso de mais este estupro coletivo – não é inédito, não- choca não só pela covardia, pela barbárie, pela brutalidade, mas pelo fato dos animais postarem na internet as cenas de total e brutal falta de senso humano. São animais sem nenhum sentimento humano, irracionais, despidos de qualquer moralidade, respeito pela dignidade e integridade de outrem. Diante do espetáculo estúpido que proporcionam e do qual se gabaram, apenas prisão é insuficiente para fazê-los pagar pela brutalidade que provocaram. E aí é que a coisa complica. Geralmente, sendo adultos, provavelmente serão condenados e gozarão do “privilégio” da progressão continuada, tendo suas penas reduzidas a um mínimo. Poderão usufruir da comiseração cretina de juízos que lhes permitirão “saidinhas”ou, quem sabe,  até, uma “liberdade condicional” quando estarão liberados para o cometimento de mais atrocidades. Mas se “di menor”, serão recolhidos por um ou dois anos em “casas de recuperação”, podendo sair livres, leves e soltos e, o que é pior, com a ficha limpa, após este exíguo tempo. Já a vítima destes trogloditas conduzirá este trauma para o resto da vida. . 

Ou mudamos a legislação, considerando tais crimes,  além de hediondos, não alcançados por nenhum tipo de benefício que lhes reduza as penas. Devem cumprir os anos de cadeia a que forem condenados em regime fechado e integralmente. Basta de sentirmos peninha de bandidos!

Claro que, pelas primeiras informações há questões para as quais precisamos que a Polícia investigue e encontre respostas. Mas, digam lá: por que as investigações não foram entregues à Delegacia da Infância e Juventude ou, ainda, para a Delegacia da Mulher?  Elas não existem só para bonito.  

Se a sociedade brasileira, que é quem padece pela completa de segurança fruto de governos medíocres não tomar pulso e exigir de seus governantes ações públicas que atenuem, rapidamente, o índice de violência que assola o país, ou continuará vítima e lamentando suas perdas, ou é melhor mudar de país. Está claro que o Brasil está se tornando hostil até para seu povo. 

Nenhum comentário: