terça-feira, junho 14, 2016

Dunga e Gilmar são demitidos. Caiu quem sequer deveria ter assumido!

COMENTANDO A NOTÍCIA:

A CBF resolveu dissolver a comissão técnica da seleção brasileira que tinha Dunga como treinador e Gilmar Rinaldi como coordenador.

Ambos sequer deveriam ter assumido logo após a derrota do Brasil para a Alemanha por 7x1 na Copa de 2014. 

Nenhum reunia a qualificação necessária para dar a volta por cima após aquele desastre histórico. Quando foram anunciados, o país inteiro virou a cara de insatisfação, pois se sabia que a CBF, mais uma vez dentre tantas, escolhera o pior dos caminhos. 

Assim como Dunga não exibia um currículo capaz de autorizá-lo a ser escolhido dentre outras opções melhores,mais capazes e mais bem preparadas, Gilmar era não mais do que um empresário de jogadores não tendo a menor ideia de qual tipo de trabalho lhe seria confiado.

Passados dois anos, e dois anos jogados no lixo, chegamos a um ponto em que não se pode mais apostar no improviso. Terminassem as eliminatórias sul americanas hoje, e o Brasil sequer disputaria a repescagem. Estamos, neste momento, fora da Copa de 2018 na Rússia.  

Se Tite aceitar o convite, que o faça impondo suas regras para o ambiente de trabalho que irá comandar. Que imponha ao senhor Del Nero, esta figura patética  que desgoverna a CBF, completo afastamento e zero de ingerência no comando da seleção. E que Tite tenha plena liberdade de escolher com quem vai trabalhar na Comissão Técnica que será formada.  

Pena que toda diretoria da CBF não caia junto. Deveria ser expurgada do comando do futebol brasileiro que enterraram com sua incompetência, corrupção e mediocridade. 

Chega de envergonhar os torcedores brasileiros!!!! Já nos basta Dilma e sua corte delinquente a enxovalharem os brasileiros em geral com sua mediocridade. 

A seguir, reportagem de O Globo sobre a demissão de quem sequer deveria ter assumido. 

******

CBF decide trocar comissão técnica após vexame na Copa América, nos EUA


Guilherme Pinto / Agência O Globo
Dunga na chegada ao prédio da CBF, quando desembarcava do carro, 
na garagem: minutos depois ele foi demitido do cargo de técnico da seleção brasileira 

Dunga não é mais o técnico da seleção brasileira. Em nota divulgada em seu site oficial, a CBF informou que decidiu trocar a comissão técnica. O provável substituto é Tite, do Corinthians, que terá encontro à noite com o presidente Marco Polo del Nero. Confira a nota da CBF:

"A Confederação Brasileira de Futebol comunica que decidiu, nesta terça-feira, dissolver a comissão técnica da Seleção Brasileira. Deixam os cargos o coordenador de Seleções, Gilmar Rinaldi, o técnico Dunga e toda a sua equipe.

A decisão foi tomada em comum acordo durante reunião nesta tarde e, a partir de agora, a CBF inicia o processo de escolha da nova comissão técnica da Seleção Brasileira.

A CBF agradece a dedicação, a seriedade e o empenho da equipe durante a realização do trabalho."

Dunga e Gilmar foram convocados para uma reunião com o presidente Marco Polo del Nero na tarde desta terça-feira na sede da CBF, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Eles desembarcaram no Rio de Janeiro no fim da manhã, de volta dos Estados Unidos, onde a seleção participou da Copa América Centenário e acabou eliminada na primeira fase. Os dois chegaram à CBF por volta das 14h45m, e cerca de meia hora foi anunciada na internet a demissão da comissão técnica.

REUNIÃO À NOITE COM TITE
A CBF já tinha feito contato por telefone com Tite, que, no entanto, não quis se alongar na conversa. Isso porque uma das condições impostas pelo treinador para negociar sua ida para a seleção é que Dunga não estivesse mais no cargo. O técnico comandou na tarde desta terça o treino do Corinthians, em São Paulo (veja vídeo acima). E deve pegar um avião para o Rio de Janeiro no início da noite, quando então se reunirá com a direção da CBF. Outra condição imposta por Tite é ter liberdade para escolher a sua comissão técnica. Edu Gaspar, gerente de futebol do Corinthians, deve fazer parte da seleção caso Tite seja de fato o novo técnico.

Tatiana Furtado / Agência O Globo
Paulo de Souza, torcedor do Fluminense, protesta contra Dunga
 na porta da CBF e pede a saída do técnico da seleção brasileira 

Na porta da CBF um torcedor esperava a chegada de Dunga com um cartaz em que pedia a saída do técnico de forma bem-humorada: "CBF, aproveita a festa junina e manda o Dunga pegar o caminho da roça", escreveu o auxiliar de serviços gerais Paulo de Souza. Torcedor do Fluminense, ele disse que não dava mais para aguentar Dunga no comando da seleção. Sua preferência era por Tite ou, então, Jorginho, do Vasco.

Ainda nos EUA Gilmar Rinaldi despistava e dizia que tinha sido ele o responsável por convocar a reunião desta terça. O então diretor de seleções afirmava que o encontro serviria para definir detalhes de uma lista prévia de 35 nomes, dos quais sairão os 18 convocados para os Jogos Olímpicos.

No desembarque em São Paulo, pela manhã, no aeroporto de Guarulhos, os jogadores evitaram declarações, e os que falaram foram protocolares em suas afirmações. Dunga e Gilmar não apareceram no saguão de desembarque porque pegaram um voo de conexão para o Rio, onde se encontrarão com Del Nero.

Capitão da seleção no jogo contra o Peru, o zagueiro Miranda disse que Dunga não conversou com os jogadores em tom de despedida.

- Cada um tem a sua parcela de culpa. Cada um tem que fazer sua autocrítica e já pensar nas eliminatórias - lembrou o jogador do Inter de Milão, já de olho nos jogos da equipe em setembro. 

DUNGA E OS NÚMEROS
  
Lucas Figueiredo / MoWA Press/Divulgação 
Derrota para o Peru e eliminação precoce na Copa América derrubaram
 Dunga em sua segunda passagem como técnico da seleção brasileira

A mais precoce eliminação do Brasil na Copa América desde 1987, após a derrota para o Peru em Boston, foi a cereja do bolo no conjunto de fiascos de Dunga desde que retornou à seleção. Ano passado, o país foi eliminado nas quartas de final do torneio, ao perder nos pênaltis para o Paraguai.

O treinador conduziu a seleção também em campanha ruim nas eliminatórias para a Copa de 2018. Ele deixa o cargo com a seleção apenas na sexta colocação, insuficiente para dar a vaga ao Mundial na Rússia. Na América do Sul as quatro primeiras seleções se classificam direto. E a quinta colocada disputa uma repescagem com um representante da Ásia. Em sexto, portanto, o Brasil ficaria fora de uma Copa pela primeira vez na história.

Em sua segunda passagem como técnico da seleção, que começou após a Copa de 2014, Dunga soma 12 vitórias, cinco empates e três derrotas. Na primeira vez em que assumiu esta função, foram 37 vitórias, 11 empates e seis derrotas, a mais marcante delas nas quartas de final da Copa de 2010, na África do Sul, diante da Holanda.

Nenhum comentário: