sexta-feira, junho 03, 2016

O placar de ministros afastados no começo do governo informa: Dilma está ganhando de Temer por 7 a 2

Augusto Nunes  
Veja online

A fila puxada por Palocci não parou de crescer até o despejo da dona da caneta que nomeia

Para não ser enquadrada também por vadiagem, Dilma Rousseff resolveu dedicar-se ao ofício de analista de presidente. O tema desta segunda-feira foi o pedido de demissão do ministro da Transparência, Fabiano Silveira, abatido pelo gravador de Sérgio Machado. “Nunca tivemos um ministro Controlador-Geral da União afastado”, lembrou em seu parecer a presidente apeada do poder por decisão do povo brasileiro.

É verdade. Também é verdade que até 2011, quando foi instalado no Planalto o poste que Lula fabricou, o país nunca vira sete ministros demitidos por corrupção em apenas dez meses ─ um recorde mundial que dificilmente será batido. Acuada por denúncias divulgadas pela imprensa, todas amparadas por provas contundentes, a faxineira de araque fez o que pôde para que o lixo escapasse da varredura.

Obrigada a engolir o despejo dos sete corruptos de estimação, permitiu-lhes que driblassem a demissão por justíssima causa com “exonerações a pedido”. Teve de conter lágrimas de esguicho ao despedir-se de Antonio Palocci (chefe da Casa Civil), Alfredo Nascimento (ministro dos Transportes), Wagner Rossi (Agricultura), Pedro Novais (Turismo), Orlando Silva (Esportes), Carlos Lupi (Trabalho) e Mário Negromonte (Cidades).

Em matéria de ministros demitidos no início do governo, portanto, Dilma está ganhando de Michel Temer por 7 a 2. Teria ampliado a vantagem a melhor amiga Erenice Guerra, com vaga assegurada no primeiro escalão da presidente eleita, não virasse caso de polícia já em novembro de 2010, por transformar Casa Civil do governo Lula na sede da quadrilha formada por parentes idiotas e amigos espertalhões.

A fila puxada por Palocci não parou de crescer nos anos seguintes. E assumiria dimensões de muralha da China se a dona da caneta que nomeia não fosse aposentada pelo Brasil decente.


Nenhum comentário: