domingo, junho 26, 2016

Serra: Mercosul perde ‘aliado’ nas negociações com a União Europeia

Eliane Oliveira, Janaína Figueiredo* e  Manoel Ventura**
O Globo

Reino Unido apoiava entendimentos entre os dois blocos

 EVARISTO SA / Evaristo Sá/AFP/25-4-2016
José Serra, ministro das Relações Exteriores 

BRASÍLIA E BUENOS AIRES - O Brasil perdeu um importante aliado nas negociações entre a União Europeia (UE) e o Mercosul, para a criação de uma zona de livre comércio, com a saída do Reino Unido do bloco europeu. Ao contrário de países como a França, o Reino Unido nunca foi afeito a subsídios agrícolas.

— É claro que pode haver algum impacto na negociação entre o Mercosul e a União Europeia. O Reino Unido apoiava esses entendimentos e é um dos países mais abertos em termos comerciais — disse ao GLOBO o ministro das Relações Exteriores, José Serra.

Segundo Serra, por outro lado, a saída dos britânicos do bloco europeu pode abrir uma janela de oportunidades para uma maior aproximação econômico-comercial com Londres:

— Preferia que isso (a decisão pela saída dos britânicos da UE) não tivesse ocorrido, mas aconteceu. Vamos manter o ímpeto com a União Europeia e aproveitar que os ingleses são um free trader (país defensor do livre comércio) e que podemos fazer bons acordos com eles.

O ministro enfatizou que o Reino Unido é a economia mais aberta da Europa. O coeficiente de comércio exterior em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) do país, acrescentou, é de 57%.

Em nota, o Itamaraty informou que o governo brasileiro recebe com respeito o resultado do referendo.

“O Brasil confia que essa decisão não irá deter o processo de integração europeia, nem o espírito de abertura ao mundo que caracterizam, e devem continuar a caracterizar, tanto o Reino Unido como a UE. Confia, igualmente, que todos os esforços serão feitos para assegurar uma transição suave e estável", diz o comunicado.

Após se reunir, no fim da tarde de ontem, com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o embaixador do Reino Unido no Brasil, Alex Ellis, defendeu reforçar a relação britânica com o Brasil. Na saída, o diplomata britânico afirmou que houve mudança de contexto nas relações entre os dois países:

— Muda o contexto de União Europeia, mas a nossa relação é muito antiga, tão antiga quanto o Brasil. A relação humana, comercial e de investimentos tem crescido muito. Tudo isso deve avançar e não retroceder.

Em Buenos Aires, a ministra das Relações Exteriores argentina, Susana Malcorra, disse que a vitória do Brexit “representa um golpe muito forte, seria absurdo dizer que não terá impacto”. Já o presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, assegurou que a situação do Reino Unido poderia “complicar” o entendimento entre os dois blocos comerciais.

Esta semana, negociadores do Mercosul se reuniram em Montevidéu para analisar a oferta apresentada pelos europeus em maio. Após 12 anos de idas e vindas, Mercosul e UE finalmente trocaram suas ofertas, mas, segundo disse ao GLOBO uma fonte do governo Mauricio Macri que acompanha de perto a negociação, “isso não significa que o acordo esteja perto”.

— A UE ainda não incluiu carne nem etanol, dois produtos considerados importantíssimos por Argentina e Brasil — comentou a fonte.

*Correspondente

** Estagiário sob supervisão de Eliane Oliveira

Nenhum comentário: