terça-feira, julho 12, 2016

Depois de ganhar 12 bilhões do governo, Friboi quer se mudar para a Irlanda

Vicente Nunes
Correio Braziliense



Gente decente que trabalha no setor público anda se perguntando o que o governo fará com o grupo JBS (Friboi e subsidiárias) caso seja levada adiante a proposta de transferência da sede da corporação para a Irlanda. O grupo empresarial, do qual fizeram parte o atual ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e seu secretário de Política Econômica, Carlos Hamilton, quer fugir dos impostos pagos no Brasil. A proposta prevê a criação da JBS Foods International,cujas ações serão listadas na Bolsa de Nova York.

Acontece que o JBS entrou de vez na Operação Lava-Jato, desde que a Polícia Federal fez buscas e apreensões na casa de seu presidente, Joesley Batista. Uma das empresas do grupo, a Eldorado Celulose, pegou R$ 940 milhões emprestados do FI-FGTS, fundo de investimentos bancado com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Desse total, R$ 9,4 milhões teriam sido pagos em propina ao deputado afastado Eduardo Cunha.

DOADOR DE CAMPANHAS –
O grupo JBS é um dos maiores doadores de recursos para campanhas políticas. Também se notabilizou por crescer com a ajuda de recursos públicos. No início do primeiro governo Lula, o grupo foi escolhido pelo então presidente Lula como um dos campeões nacionais. Com isso, estima-se que tenha recebido mais de R$ 12 bilhões de bancos federais.

###

NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Como dizia Karl Marx, o dinheiro não tem pátria. O caso do grupo Friboi comprova essa teoria inquestionável, que é mesmo revoltante. (C.N.)


******* COMENTANDO A NOTÍCIA:

O caso da FRIBOI evidencia  uma das maiores mancadas cometidas por Lula com seus "campeões nacionais" Além de encher o bolso das elites com dinheiro baratinho, o montante que foi empregado nesta política desastrosa serviu para elevar brutalmente  a dívida pública. E o pior:  quem não quebrou, acabou gerando empregos lá fora, enquanto o Brasil amarga mais de 11 milhões de pessoas sem trabalho. 

Nenhum comentário: