sexta-feira, julho 15, 2016

No Dia da Bastilha, atentado atinge em cheio orgulho francês

O Globo 
Com informações Agências Internacionais 

Antes do ataque, Hollande havia informado que não pretendia estender o prazo de estado de emergência

Reprodução/Twitter
Nas redes sociais, circulam as primeiras imagens de atropelamento em Nice

NICE - O atentado ocorrido nesta quinta-feira, em Nice, no sul da França, tem um peso muito importante, uma vez que atingiu em cheio as comemorações de 14 de julho, a Queda da Bastilha, um evento de orgulho nacional, com ideais de liberdade, igualdade e fraternidade e que atrai não só franceses como turistas. Foi um ataque muito maior que o temido pelo governo francês durante a Eurocopa.

Antes do atentado, o presidente François Hollande havia informado que não pretendia estender o prazo de estado de emergência, que estava em vigor desde novembro do ano passado quando Paris foi alvo de um atentado terrorista. A previsão anterior era de que o estado de atenção seria suspenso no dia 26 de julho.

O feriado é uma comemoração pela Revolução Francesa, um período de grandes mudanças no país. A monarquia que tinha governado o país durante séculos entrou em colapso em apenas três anos. A sociedade francesa passou por uma transformação quando privilégios feudais, aristocráticos e religiosos deixaram de existir por conta de um ataque sustentado de grupos políticos radicais, das ruas e de camponeses na região rural do país. Surgiram, então, os ideias de liberdade, igualdade e fraternidade.

Em imagens feitas durante as comemorações nesta quinta-feira, é possível ver um caminhão acelerando na direção da multidão. As pessoas ficaram em pânico e saíram correndo. O governo de Alpes-Maritimes pediu que todos voltassem para casa e permanecessem em locais fechados. Um dos ocupantes do caminhão foi morto e outro permanece foragido.


A conta oficial de Paris no Twitter postou uma mensagem de solidariedade. "Paris está com Nice. Estamos com vocês de todo o coração. Estamos unidos", diz o texto. A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, também se manifestou em seu perfil: "Em nome dos parisienses, nosso mais fraternal apoio ao povo de Nice. Nossas cidades estão unidas", escreveu. Táxis que estavam na região passaram a transportar gratuitamente pessoas que tentam deixar o local, segundo o "Nice Matin".



Nenhum comentário: