quinta-feira, junho 01, 2017

Impactos do agronegócio na economia vão além do campo

Marcelo Loureiro
O Globo


O crescimento de 13,4% da agropecuária no trimestre é apenas uma fração da força do campo. Outros segmentos se aproveitam do bom momento. O peso do agronegócio chega a algo como 23% da economia, conta Sergio Vale, da consultoria MB Associados, enquanto a agropecuária representa cerca de 5,5% no cálculo do PIB feito pelo IBGE.

É possível notar alguns efeitos da supersafra em outros setores. A demanda por fertilizantes, máquinas e veículos cresce. No primeiro trimestre, a indústria de transformação avançou 0,9% contra o final de 2016, a maior alta desde 2014. A produção das fazendas também precisa ser escoada. A maior alta dos serviços foi exatamente no segmento de transportes, que cresceu 2,8%, interrompendo uma série de nove quedas iniciada ainda em 2014. Parte da produção agrícola é embarcada para outros países. Nesse trimestre, as exportações avançaram 4,8%, após cair durante todo o ano passado.

Para Vale, a agropecuária não terá um desempenho tão forte no PIB do segundo trimestre, mas alguns efeitos da supersafra devem continuar a puxar outros setores do agronegócio. Frente a 2016, o momento do campo é ainda mais impressionante. Contra o primeiro trimestre do ano passado, a agropecuária saltou 15,2%; na comparação anual, a alta deve continuar nos dois dígitos neste segundo trimestre. Vai ajudar, assim, a amenizar os efeitos da incerteza que toma conta da economia nesse momento. 

Nenhum comentário: