segunda-feira, junho 05, 2017

Polícia diz que mortes no centro de Londres foram 'incidentes terroristas'

BBC Brasil

 Direito de imagem PA Image caption
Pessoas correm pelas ruas no centro de Londres 
após atropelamento na London Bridge

A polícia de Londres afirmou na noite deste sábado que pessoas morreram após um atropelamento e um esfaqueamento na região da London Bridge, uma das pontes que cruzam o rio Tâmisa, no centro da capital da Inglaterra. A polícia publicou no Twitter que "os incidentes na #LondonBridge e #BoroughMarket foram declarados incidentes terroristas".

Testemunhas disseram que uma van branca, dirigida por um homem ainda não identificado, subiu na calçada instantes antes de atingir as vítimas. A ponte foi fechada em ambos os sentidos e isolada, a pedido da polícia, que relatou o caso como um "grande incidente policial", sem dar mais detalhes.

As forças policiais disseram que também atendem a um incidente relatado em Vauxhall, a cerca de 3 km da London Bridge. De acordo com a polícia, o esfaqueamento ocorreu no Borough Market, a poucos metros do atropelamento.

A repórter da BBC Holly Jones estava na ponte no momento em que ocorreu o incidente com a van, que seguia no sentido do centro de Londres. Segundo ela, a van era conduzida por um homem e estava a "cerca de 50 milhas por hora (80 km/h)".

Ao menos cinco pessoas ficaram feridas após o veículo subir na calçada e atingi-las, relatou a repórter da BBC. "Ele (motorista) desviou para a direita perto de mim e depois atingiu cinco ou seis pessoas. Ele atingiu duas pessoas na minha frente e depois três atrás", disse Jones à BBC.


Direito de imagem PA Image caption
Policial armado patrulha região no centro de Londres após 
incidente com van na London Bridge

Jones ainda disse ter visto um homem sendo preso pela polícia. Ela afirmou que ele estava algemado e sem camisa.

O serviço de resgate de Londres publicou a seguinte mensagem no Twitter: "Muitas equipes atendendo a um incidente na #LondonBridge, por favor, evite a área". A London Bridge fica no centro da cidade e é um dos acessos para pontos turísticos da capital inglesa.

Outros ataques
No dia 22 de maio, a Polícia Metropolitana de Londres informou que cinco pessoas morreram em um "ataque terrorista" realizado nos arredores do Parlamento britânico. Na ocasião, um carro atropelou pelo menos 12 pessoas, entre elas, três policiais que voltavam de uma cerimônia.

O carro bateu contra a grade das cercanias do Parlamento, um homem armado com uma faca saiu do veículo e tentou entrar correndo no Parlamento, um dos principais cartões postais de Londres (é onde fica o Big Ben). Ele esfaqueou um policial e depois foi atingido a tiros pela polícia.

No dia 22 de maio, um homem-bomba matou 22 pessoas e deixou 59 feridas em um ginásio de Manchester na saída do show da cantora pop americana Ariana Grande. O ginásio Manchester Arena, onde o show ocorreu, tem capacidade para 21 mil pessoas.

O suspeito do ataque, Salman Abedi, de 22 anos, é natural de Manchester e de família de origem líbia. Ele tinha ao menos três irmãos e viveu em diversos endereços em Manchester, entre eles um local na região de Fallowfield que foi alvo de buscas nesta terça-feira.

O ataque levou o governo britânico também elevou o alerta para ataques terroristas no país para nível "crítico", o que significa que a expectativa é de haver novos atentados a qualquer momento.

Nenhum comentário: