segunda-feira, junho 05, 2017

PT abocanhou R$ 616 milhões, quase metade das propinas do grupo JBS

Tribuna da Internet
Deu em O Tempo

Charge do Alpino (Yahoo)


A JBS, dos irmãos Joesley e Wesley Batista, afirmou ter entregado R$ 1,4 bilhão em propinas nos 42 anexos de seu acordo de delação premiada, conforme informou “O Estado de S. Paulo”. Os valores nominais de 214 pagamentos constam dos depoimentos e planilhas apresentados pelos delatores envolvendo 28 partidos – não está claro, porém, o período que engloba os repasses. Em valores, o grupo concorre com a Odebrecht, cuja delação listou R$ 1,68 bilhão em repasses para 26 partidos.

Os repasses envolvendo a JBS podem ser maiores ainda se forem consideradas todas as doações eleitorais legais. O total relatado nos anexos é mais que o triplo do que Joesley Batista havia admitido ter pagado como propina – R$ 400 milhões – e mais do dobro do que afirmara Ricardo Saud, ex-diretor de Relações Institucionais da empresa (R$ 600 milhões).

PRÓ-GOVERNO – Os pagamentos a políticos, provados pelas planilhas, mostram que a JBS é mais governista do que a Odebrecht. No ranking da quantidade de verba que o grupo direcionou a políticos o PT lidera com R$ 616 milhões (43,5% do total) e R$ 453 milhões para o PMDB, partido de Michel Temer, que foi vice de Dilma Rousseff. A Odebrecht havia reservado 25,4% de seus repasses para os petistas e 14,7% ao PMDB.

No caso específico de Dilma e Lula, que comandaram o país antes de Temer, o empresário Joesley Batista disse que abasteceu duas contas para os ex-presidentes na Suíça. O saldo chegaria, só em 2014, a cerca de US$ 150 milhões (sendo US$ 80 milhões de Dilma e US$ 70 milhões de Lula), o que em valores atuais representariam R$ 487,5 milhões, ou seja, quase meio bilhão de reais.

A cifra pode ser ainda maior se for considerada a informação dada por Joesley Batista de que contas de Lula no exterior teriam recebido, em 2010, outros US$ 50 milhões (R$ 162,5 milhões, valores atuais) e de Dilma outros US$ 30 milhões (R$ 97,5 milhões). Somando os valores que teriam sido repassados a Dilma e Lula, juntos, em 2010 e 2014 chega-se à surpreendente cifra de R$ 747,5 milhões (em valores atuais). Só não está claro ainda se o cálculo de toda a propina paga ao PT inclui os valores das contas que os ex-presidentes teriam no exterior.

BNDES E FUNDOS – Os créditos dessas importâncias milionárias, segundo o delator, eram em grande parte decorrentes de propinas sobre empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). “Os saldos das contas vinculadas a Lula e Dilma eram formados pelos ajustes sucessivos de propina do esquema BNDES e do esquema gêmeo, que funcionava no âmbito dos fundos Petros e Funcef”, apontou o empresário em um dos anexos da delação.

Tanto nas delações dos irmãos Batista quanto nos relatos de Ricardo Saud o PSDB – até 2016 na oposição – aparece em terceiro lugar como beneficiário de propinas. Do dinheiro da JBS, os tucanos ficaram com R$ 90 milhões (6,3%), um pouco menos do que receberam da Odebrecht (8,9% do total).

PSD BENEFICIADO – Em quarto lugar na lista de repasses da JBS está o PSD, do atual ministro Gilberto Kassab, com 51,6 milhões (3,6 % do total). O PSD nasceu governista, durante a gestão de Dilma Rousseff, e se mantém assim com Temer.

Em uma anotação feita a mão pelo executivo Ricardo Saud consta uma lista de “partidos cooptados (parceiros) PT”. A primeira sigla a aparecer é a do PR, ao lado da qual foi anotado R$ 34 milhões. A relação segue com PSD (R$ 43 milhões), PP (R$ 45 milhões), PMDB (R$ 129,2 milhões), PCdoB (R$ 13 milhões), PDT (R$ 4 milhões), PV-SP (R$ 1 milhão), PRB (R$ 2 milhões) e termina com o PROS ( R$ 10,5 milhões).

###

NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG O mais grave, sem dúvida, é usar recursos do BNDES e dos fundos de pensão para distribuir propinas, vejam a que ponto chegou a desfaçatez dessa gente. (C.N.)

Nenhum comentário: