sábado, abril 07, 2018

Mundo afora, veja os presidentes que já foram condenados à prisão

 Da Redação
Exame.com

Observar um presidente ser condenado à prisão não é um fenômeno exclusivo do Brasil. Veja aqui outros países que passaram pela mesma situação

(Paulo Whitaker/Reuters)
Manifestante contra a prisão de Lula 

São Paulo – O mundo observa com atenção aos desdobramentos relacionados ao decreto de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Condenado a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, o petista tem até às 17 horas desta sexta-feira (06) para se entregar à Polícia Federal em Curitiba.

À frente da presidência por dois mandatos consecutivos (entre 2003 e 2011), Lula não é o primeiro presidente da história a enfrentar a prisão. Tampouco é o Brasil o único lugar do mundo em que uma situação como essa aconteceu na história recente. Veja abaixo alguns países que também observaram a condenação de presidentes à prisão.

Coreia do Sul

Park Geun-hye chegou ao poder na Coreia do Sul em fevereiro de 2013. Em janeiro de 2017, no entanto, sofreu um processo de impeachment após um escândalo de corrupção bizarro ter vindo à tona, um esquema de troca de favores e extorsão. Park foi presa em março e, nesta semana, condenada a 24 anos de prisão em razão das acusações de abuso de poder e suborno.


Peru

Alberto Fujimori foi presidente do Peru entre 1990 e 2000. Foi preso em 2007 e condenado a 25 anos de prisão em 2009 em razão de crimes contra a humanidade e acusações de corrupção. Em 24 de dezembro do ano passado, contudo, recebeu um indulto humanitário do então presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski e foi libertado aos 79 anos.

Kuczynski é outro presidente peruano que corre o risco de acabar na prisão. Pressionado especialmente por seus laços com a construtora brasileira Odebrecht, ele renunciou à presidência no final de março para evitar o impeachment. As investigações de lavagem de dinheiro continuam e ele está proibido de deixar o país pelos próximos 18 meses.


Argentina

Carlos Menem não se encaixa necessariamente na categoria de presidentes presos, já que nunca passou um tempo atrás das grades por conta do foro por prerrogativa de função que por seu cargo como senador. Contudo, coleciona condenações e a justiça argentina segue tentando derrubar essa proteção.

No ano de 2013, foi sentenciado a 7 anos de prisão por contrabando de armas. Já em 2015, foram 4 anos e meio de prisão e proibição perpétua de exercer cargos públicos pelo desvio de dinheiro durante sua presidência entre os anos de 1989 e 1999.


Venezuela

Carlos Andrés Pérez governou a Venezuela entre 1974 e 1979 e entre 1989 e 1993, quando sofreu um impeachment, abrindo caminho para a chegada de Hugo Chávez ao poder. Em julho de 1994, foi preso após ser acusado de desvio de verba pública. Deixou a prisão domiciliar poucos anos depois e, em 1999, teve sua prisão novamente decretada. Passou o restante de sua vida como foragido e morreu em 2010 nos Estados Unidos.


Nicarágua

José Arnoldo Alemán Lacayo foi presidente da Nicarágua entre os anos de 1997 e 2002. Acusado de lavagem de dinheiro, fraudes e outros crimes foi condenado a 20 anos de prisão, convertida em prisão domiciliar, em 2003. Estima-se que ele tenha desviado mais de 100 milhões de dólares de dinheiro público para contas controladas por ele e sua família no Panamá. Em 2009, no entanto, foi absolvido de todas as acusações.

Nenhum comentário: