segunda-feira, maio 06, 2019

PATIFARIA CONSUMADA: Supremo ignora críticas e acerta compra de menu com lagosta e vinho premiado

Informações Estadão Conteúdo
Tribuna da Internet


Charge do Duke (dukechargista.com.br)

Mesmo com questionamentos do Ministério Público e sendo alvo de uma ação popular, o Supremo Tribunal Federal (STF) ignorou as críticas e decidiu acertar a compra de medalhões de lagosta e vinhos importados – com premiação internacional – para as refeições servidas aos seus integrantes e convidados. O valor do contrato ficou em R$ 481.720,88, de acordo com a assessoria do STF.

Segundo o Estadão apurou, o edital provocou desconforto entre ministros da Corte e indignação entre servidores do tribunal. Um ministro disse reservadamente à reportagem que a compra não foi previamente discutida pelos magistrados em sessão administrativa e, portanto, não foi chancelada pelo colegiado. A licitação previa originalmente gasto de até R$ 1,134 milhão.

TODAS AS NORMAS – Procurada, a assessoria do tribunal informou que a licitação foi realizada “observando todas as normas sobre o tema e tendo por base contrato com especificações e características iguais ao firmado pelo Ministério das Relações Exteriores e validado pelo TCU”.

De acordo com o tribunal, a empresa que ficou em primeiro lugar na licitação não pôde ser vencedora porque tinha impedimento para contratar com a Administração Pública. O contrato acabou com a Premier Eventos LTDA, que apresentou o segundo menor preço.

A empresa, com sedes em Brasília e Curitiba, já atuou na Copa das Confederações de 2013, na Copa do Mundo de 2014 e nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro de 2016, eventos que foram sediados no Brasil. Em sua página oficial na internet, a Premier diz que a “credibilidade e excelência” são as suas marcas.

FINO TRATO –  O menu exigido pela licitação do Supremo inclui desde a oferta de café da manhã, passando pelo “brunch”, almoço, jantar e coquetel. Na lista, estão produtos para pratos como bobó de camarão, camarão à baiana e “medalhões de lagosta”. As lagostas devem ser servidas “com molho de manteiga queimada”.

A corte exigiu no edital que sejam colocados à mesa pratos como bacalhau à Gomes de Sá, frigideira de siri, moqueca (capixaba e baiana) e arroz de pato. O cardápio ainda traz vitela assada, codornas assadas, carré de cordeiro, medalhões de filé e “tournedos de filé”.

Os vinhos exigiram um capítulo à parte no edital. Se for tinto, tem de ser Tannat ou Assemblage, contendo esse tipo de uva, de safra igual ou posterior a 2010 e que “tenha ganhado pelo menos 4 (quatro) premiações internacionais”. “O vinho, em sua totalidade, deve ter sido envelhecido em barril de carvalho francês, americano ou ambos, de primeiro uso, por período mínimo de 12 (doze) meses.”

REFORMA CARA – Em janeiro, a Coluna do Estadão informou que o STF gastou R$ 443.908,43 com a reforma no gabinete da Presidência da Corte.

A obra incluiu a substituição de carpete por piso frio e a instalação de um chuveiro no gabinete hoje ocupado pelo presidente Dias Toffoli.

###

NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – O Supremo é comandado por um ministro deslumbrado, que se comporta como a rainha francesa Maria Antonieta, casada com Luís XVI. Está pouco ligando para a crise que o país atravessa, porque tem salário vitalício garantido de quase R$ 40 mil e ganhava mesada de R$ 100 mil de sua ex-esposa, cuja origem jamais foi revelada ou investigada, e também ninguém se sabe se ainda continua a ser paga diretamente em espécie, porque os ministros do Supremo são cidadãos acima de qualquer suspeita, como diria o genial cineasta italiano Elio Petri. Suas excelências não podem ser investigados e sequer aceitam que se fale mal deles. (C.N.)


****** COMENTANDO A NOTÍCIA:


O comentário do jornalista Carlos Newton diz muito mas não diz tudo. A ação do STF demonstra o grau de indecência que atingiu a Corte. Não se trata apenas de deslumbramento, mas de total falta de respeito para com a sociedade que a sustenta, um completo descomprometimento com a situação que vive o país. 

Senão vejamos: temos 13 milhões de desempregado, mais de 28 milhões de subempregados, mais de 20 % da população jovem que não estuda, não trabalha e não procura emprego por completa falta de perspectiva, além de um contingente jovem de 50% fora das escolas e que sequer completa  o ensino médio. Temos também mais de 21% da população vivendo abaixo da linha de miséria, 50% do povo vivendo literalmente na merda por falta de investimentos em saneamento, e cerca de 50 milhões sobrevivem graças a esmola do Bolsa Família e estes caras tem a petulância de impor a esta população a compra deste regabofe milionário, inútil, sem sentido e que não faz parte do “cardápio” necessário ao desempenho de suas funções!!! Provem-me (se forem capazes) que um juiz, seja de que nível for, precisa alimentar-se com lagostas regadas a vinho internacional, para fazer justiça!!!

Uma população desassistida por completo, com serviços públicos miseráveis, indignos, indecentes e que,  agora, terá de bancar de sobrepeso a luxúria e ostentação vergonhosa e imoral de ministros do STF???!!!!

 Acrescente-se a toda esta desgraceira, que o Brasil suporta, há cinco anos, um déficit orçamentário bilionário, superior a R$ 100 bilhões e que está projetado para se alongar até 2022!!!! |Mal conseguimos sair da pior recessão da nossa história!!! 

Pobre povo brasileiro que precisa suportar além de uma elite estatal imoral, um Judiciário vergonhoso!!!! Nesta imoralidade dos políticos e, como se vê, também do Judiciário, residem as raízes de nossos males, padecimentos, desigualdades e miséria. A corrupção brasileira não se faz apenas com roubo de dinheiro público: ela caminha paralela com estes desvios imorais para bancar a patifaria de uns poucos a custa do suor e miséria de muitos. 

Na próxima edição, vamos mostrar a diferença entre um juiz decente e civilizado de um país rico, e um juiz pobre de espírito mas ganancioso e indecente em um país pobre. AGUARDEM!

Nenhum comentário: